Tamanho texto:

-A A +A

Alto contraste:

  • White/Black
  • Padrão

Current Style: Padrão

Em memória de Moa do Katendê (1954 - 2018)

 

 

image.png

 

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS AFRICANOS

 (ABE-ÁFRICA)

 

Nota oficial

 

Em memória de Moa do Katendê (1954 - 2018)

A Associação Brasileira de Estudos Africanos (ABE-África) considera importante se posicionar frente à atual conjuntura política brasileira no momento que antecede o segundo turno das eleições presidenciais de 2018 no Brasil.

É sabido, notório e publicamente registrado o racismo de parte dos adeptos de uma das coligações que concorre à Presidência da República. Os candidatos dessa fizeram falas com referências inaceitáveis à presumida positividade do “branqueamento da raça” e bem como à suposta promiscuidade inerente às mulheres negras. Igualmente, já se referiram ao continente africano e aos seus descendentes no Brasil utilizando termos pejorativos.

Tragédias recentes mostram que o risco representado pelo projeto político em questão não é só retórico. Ao fim do primeiro turno destas eleições, um apoiador desse projeto aludido matou a facadas um eleitor de outra orientação política chamado Moa do Katendê, que era conhecido por suas ações de defesa e apoio à cultura africana e afro-brasileira. O perfil de mais essa vítima fatal é sintomático e exemplar do risco iminente que a candidatura em questão representa para a sociedade brasileira como um todo, para o combate ao racismo e a promoção da igualdade racial no Brasil, temas relevantes no âmbito de atuação desta Associação.

Assim, repudiamos todas as manifestações racistas que estão personificadas na candidatura dessa coligação partidária à Presidência, contra as quais não podemos nos calar.  Condenamos de forma veemente a violência dos ataques feitos por apoiadores da candidatura. Racismo não é orientação política: é crime.

Associação Brasileira de Estudos Africanos

(Direção 2017-2018)

 

--